Por: Editor Aconteceu | 7 dias atrás

O corpo de um morador de rua foi encontrado na tarde desta terça-feira (5), em Jaraguá do Sul. A Polícia Militar foi chamada até uma casa abandonada na por volta das 15h e encontrou o homem, com idade entre 30 e 40 anos, em uma garagem no fundo do terreno. A residência fica localizada no número 100 da rua Joaquim Francisco de Paulo, no bairro Chico de Paulo. De acordo com o delegado titular da Divisão de Investigação Criminal (DIC), o autor do crime já foi identificado, mas a identidade do suspeito não pode ser revelada.

“No começo da tarde, a Polícia Militar encontrou um corpo com vestígios de homicídio. O homem tinha várias pancadas na cabeça e no rosto. Nós fomos ao local do fato e uma testemunha identificou visualmente um dos autores do crime”, conta Dias. “Foi um homicídio bastante violento e com muito sangue. Provavelmente, eles estavam bêbados e eram usuários de drogas, tanto o autor como a vítima”, completa.

SAIBA MAIS:

– Homicídio é registrado em Jaraguá do Sul

O delegado da DIC explica que o assassinato tem alguns pontos em comum com o ocorrido no mês de setembro, em uma construção localizada na rua Marina Frutuoso, no Centro. “Naquele caso, a vítima foi morta de uma maneira muito parecida. Ele era um morador de rua, usuário de drogas e foi morto com pancadas na cabeça”, lembra o delegado, ao ressaltar que todos os homicídios têm a mesma importância para a Polícia Civil. “O importante é solucionar o caso, identificar o autor e prendê-lo. Acho que isso deve ocorrer nas próximas horas”, enfatiza.

Daniel Dias explica que o homicídio ocorrido na tarde desta terça-feira não vai ficar a cargo da DIC, pois já tem o autor identificado. “O caso será remetido para a Delegacia da Comarca porque já está identificado o autor. Mas o caso já está solucionado”, finaliza. A vítima do crime ainda não foi identificada e o corpo foi recolhido pelo Instituto Geral de Perícias, que também realizou exames no local do crime.

Local de uso de drogas

A casa em que foi encontrado o corpo do morador de rua é, segundo os vizinhos, local de uso de drogas. A residência estava sendo demolida, mas o trabalho foi embargado pelo Setor de Patrimônio Histórico. “Homens, mulheres frequentam este local durante o dia e a noite. Não tem hora. No fim de semana aquela casa está cheia. Eu acho que é uma pouca vergonha, porque a gente passa na frente com as crianças e saem os usuários de drogas. Não tem o que fazer. Todo mundo fala em demolir a casa, mas dizem que está embargada a obra. Mas a solução seria demolir”, comenta o tecelão Jonatan Bonfim.

A funcionária pública Suelen Martins mora nas proximidades da casa onde o ocorreu o crime e também afirma que há um grande movimento de usuários de drogas no local. “Tem muito movimento de usuários, moças e rapazes. Eu acho que estava demorando para acontecer isso. É um entra e sai. A polícia vai ali, prende um, mas não adianta”, conta Suelen.